ACTU

O melhor do LW - 10º Aniversário

Verride

Palácio Verride - 2012

O Palácio Verride depois de muitos anos encerrado, reabriu as suas portas em 2012 para a exposição "Verride" para a 1a Edição da Lisbonweek. A curadora Filipa Oliveira convidou quinze artistas portugueses a exporem e  sentirem a história do Palácio. Foram eles, Vasco Araújo, André Guedes, Pedro Barateiro, Susana Mendes Silva, João Onofre, Gil Cortesão, Nuno Sousa Vieira, Joana Bastos, Patrícia Garrido, Luísa Cunha, Rui Chafes, Helena Almeida, Helena Marques, Daniel Blaufuks e Mauro Cerqueira. Hoje em dia este Palácio acolhe um hotel de luxo com o mesmo nome

Curadoria de Filipa Oliveira

Blind Date

Igreja St Catarina 2012

Blind Date (venda de obras feitas por artistas mas não identificadas)

Uma cartolina foi dada aos artistas com o convite de intervirem nela como quisessem. Uma única regra – a assinatura deveria aparecer apenas no verso. Um preço único para todas as cartolinas. Foram mais de 50 artistas convidados como; Luís Paulo Costa, João Paulo Feliciano, João Louro, Julião Sarmento, Rui Toscano ou Joana Vasconcelos, entre muitos outros, entre eles novos talentos jovens.

Curadoria de Filipa Oliveira

 

Lisboa e o Tejo

Filme 2012

Filme produzido para o lançamento da 1ªEdição da Lisbonweek com realização da cineasta Rita Nunes, com músicos da Orquestra Metropolitana de Lisboa tocando clássicos de Lisboa pela mão do Maestro Cesário Costa

Veja aqui

Concertos Orquestra Metropolitana de Lisboa

Concertos Chiado 2012, Rossio, 2013, Alcântara 2020

Ao longo de várias edições a Lisbonweek desafiou a Orquestra Metropolitana de Lisboa a fazer concertos em lugares únicos e nunca antes visitados desta forma. 

Sociedade de geografia (foto), Largo do Camões e Igreja de S. Pedro de Alcântara, foram alguns dos espaços eleitos onde muitos, online e offline,  puderam presenciar momentos inesquecíveis.

Com a Igreja de São Pedro em Alcântara como palco, a Orquestra Metropolitana de Lisboa, liderada por Nuno Inácio, apresenta-lhe A Baixela Germain de Dom José, com música clássica portuguesa e francesa do século XVIII.

Concerto encerramento Lisbonweek'20-21 | Orquestra Metropolitana de Lisboa

I will be your Mirror

Do Marquês ao Rio 2013

Uma exposição com curadoria de Delfim Sardo que fez a ligação entre o mundo da arte contemporânea e a arquitetura, e que contemplou uma dezena de edifícios emblemáticos da cidade. Obras como as de Fernanda Fragateiro, Carrilho da Graça, João Onofre ou José Pedro Croft podiam ser encontradas em locais como o Teatro Thalia, Museu de História Natural ou Convento da Encarnação, num percurso que fazia descobrir Lisboa e o seu património mais escondido.

 

Arquitecto Carrilho da Graça

Rossio 2013

Dentro do projecto "I will be your mirror", Carrilho da Graça fez com que milhares de pessoas se olhassem ao espelho, fundidas com os reflexos do património. Instalação temporária no Rossio.

Snif Lisbon

Carlos Coelho - 2013

A que cheira Lisboa? Foi esta a questão que deu origem à colocação de dezenas de narizes gigantes no Chiado e no Príncipe Real. 

Quando pressionados deixavam sair alguns dos mais característicos cheiros da cidade. Papo seco, roupa lavada, rio ou castanha assada, foram apenas quatro dos odores que fizeram sentir Lisboa de uma forma diferente a quem aderiu a esta experiência sensorial.

Curadoria Carlos Coelho para Ivity

Porfírio Pardal Monteiro - Arquitecto de Lisboa

Biblioteca Nacional 2015

A Exposição 'Porfírio Pardal Monteiro - Arquitecto de Lisboa', com curadoria de Ana Tostões e João Pardal Monteiro, esteve patente na Biblioteca Nacional de Portugal. A mostra reuniu alguns dos mais emblemáticos edifícios da autoria de Porfírio Pardal Monteiro (1897-1957) através de desenhos originais, pinturas visionárias ou imagens da época: Diário de Notícias, Hotel Tivoli, Reitoria da Universidade de Lisboa, Hotel Ritz, Gares Marítimas de Alcântara e da Rocha do Conde de Óbidos, Instituto Superior Técnico, Faculdade de Letras, Laboratório Nacional de Engenharia Civil, Biblioteca Nacional de Portugal, Caixa Geral de Depósitos do Porto.

E morreram felizes para sempres - Teatro imersivo

Júlio de Matos 2015

O espetáculo decorreu no Hospital Júlio de Matos, e era um crossover entre a tragédia amorosa de Pedro e Inês de Castro e a invenção da lobotomia por Egas Moniz. As personagens moviam-se sem palavras e viviam as cenas por meio de expressão dramática e corporal. Para além da narrativa central, havia salas secretas e momentos especiais à porta fechada...

Hospital Júlio de Matos 1949. Um médico atormentado, um picador de gelo nas mãos erradas, uma história de paixão que termina em sangue. "E Morreram Felizes para Sempre", um espectáculo imersivo num edifício do Hospital Júlio de Matos. Uma experiência ao vivo com 10 personagens, em 27 salas.

Foi lançado durante a LisbonWeek de 2015 e esteve em cena durante 7 meses, atraindo mais de 10.000 visitantes. 

Curadoria Nuno Moreira. Direcção de atores Ana Padrão

https://www.youtube.com/watch?v=EPKdfCi0zwo



Encontrar Maria Keil

Metro de Lisboa 2015

Uma exposição dedicada as obras de azulejo que Maria Keil ofereceu à cidade e que tornam as estações do metro de Lisboa autênticas obras de arte e uma história de amor.

Selecionados mais de 20 detalhes das mesmas, foram colocados painéis pelas estações de Alvalade. Esta exposição teve contacto com centenas de milhares de pessoas que utilizaram o metro de Lisboa durante várias semanas.

Curadoria Daniel Matos Fernandes

Pantone

Felipe Pantone - Lumiar 2017

Obras originais de Filipe Pantone, Francisco Vidal e Raf deram nova vida às fachadas e muros da Freguesia do Lumiar. “As Armas da cultura Marginal” de Francisco Vidal foi feita em conjunto num workshop com os jovens do bairro da antiga Musgueira, a rotunda dos Corvos, foi reinterpretada por Rui Alexandre Ferreira, a.k.a Raf para a LW17 e o artista Argentino Felipe Pantone foi convidado a produzir a maior empena de Lisboa com os seus vibrantes jogos cromáticos, bem ao lado da Tobis a lembrar uma mira técnica que celebra a RTP neste bairro.

 

Estúpidos

Robert Panda - Telheiras - 2017

De forma a interagir com as comunidades locais convidamos o artista Robert Panda a deixar duas esculturas, os famosos “Estupidos” no bairro de Telheiras. Desde então milhares de fotografias já foram feitas no local.  

 

Lumi

Palácio das Conchas 2017

Com curadoria Lisbonweek, convidamos três fotógrafos portugueses a retratar o bairro do Lumiar. Suas emoções e seus personagens.

Luis Mileu, Carlos Ramos e Rui Aguiar

Marquês de Pombal

Teatro - Jardim Botânico da Ajuda - 2019

A inauguração da LisbonWeek’19 foi um momento que levou centenas de pessoas a viajar no tempo pelos meandros do Jardim Botânico. Marquês de Pombal, a sua segunda mulher, D. Leonor Daun, sempre com a presença de perto das suas aias, criados e até o Patriarca de Lisboa da altura, Paulo de Carvalho e Mendonça, fizeram parte desta recriação imersiva e inesquecível onde os trajes da altura fizeram sucesso nos recreados jogos de jardim, nos momentos de poesia e durante os concertos de música da época.

InsideOut

Bairro 2 de Maio - Ajuda 2019

A Lisbonweek’19, levou a cabo uma instalação de arte urbana em empenas de edifícios do Bairro 2 de Maio, numa ação que pretendeu despertar mentalidades e chamar a atenção para a possibilidade de fazer do mundo um lugar melhor através da arte. O Inside Out Project do Artista JR foi o ponto de partida para esta exposição a céu aberto e aberta a todos. Foram fotografados 360 moradores.

 

O guardador de livros

Biblioteca palacio da Ajuda 2019

As palavras de Alexandre Herculano guardadas na Biblioteca do Palacio Nacional de Ajuda, vistas pelo olhar dos Collective of Two.

Gonçalo Santana e Vasco Barbosa, poetas tecnológicos e artistas multidisciplinares, apresentaram um projecto que deu nova vida a este espaço de arqueologia literária e uma nova leitura às palavras de Herculano guardadas neste Palácio.

Curadoria de Collective of Two

 

Garden Party 1907

Biblioteca de Alcântara 2020

Foi feita uma exposição física, outra online e um mini-filme em homenagem ao Palácio dos Patriarcas e ao Conde Burnay que no século XIX foi um importante empresário e político que transformou os seus esplendorosos jardins no ponto de chegada da mais proeminente elite lisboeta. Uma exposição onde se puderam admirar os looks de moda da altura vindos do museu do Traje,  um mini filme produzido por Jenny Silvestre, presidente da Academia Portuguesa de Artes Musicais e uma exposição online onde poderá ver imagens exclusivas das maravilhosas festas no jardim do Palácio Burnay, em 1907.

https://www.instagram.com/tv/CJEkrl0BCnm/

Fotografia de Alberto Carlos Lima e Eduardo Alexandre Cunha
Música Luis Freitas Branco
Seleção: Arquivo Municipal de Lisboa
Pós-produção: Estúdios Rodrigo Oliveira

EMUA

LX Factory - 2021

Museu efémero de arte urbana na LX Factory. Um museu pop up que deu a conhecer uma forma do fazer artístico que começou como ilegal e acabou – como parte da cidade e da vida de quem nela habita – a reivindicar uma nova função para o espaço público. A epopeia da street art contou-se durante dois meses, através de uma centena de obras de artistas pioneiros, nacionais e internacionais, como Banksy, Invader, André Saraiva, Os Gêmeos, Felipe Pantone, Vhils, Futura 2000, Finok, Jason Revok e Bordalo II, num edifício que iria ser destruído no final da exposição.

Curadoria Georges Zorgbibe